Comunidade do Parque Jair tem apoio das obras sociais de igreja

MATÉRIA EXTRAÍDA DO JORNAL O IMPARCIAL

material Comunidade vida - O IMPARCIAL

Comunidade Vida dá assistência a moradores do bairro desde 2004, por meio do Instituto Vida Feliz, e ampliou trabalho social com a criação do Centro de Recuperação e Reabilitação (CRER) e a formação do grupo Anjos da Solidariedade

Há 10 anos, uma vendedora de beiju foi várias vezes a um programa de rádio denunciar um problema grave: a violência a que estavam submetidas as crianças do seu bairro. Entre os problemas a serem enfrentados estava a pedofilia. O bairro era o Parque Jair, comunidade que estava sendo formada na cidade de São José de Ribamar, na Região Metropolitana de São Luís. O programa de rádio no qual ela por várias vezes fez a denúncia era apresentado pelo pastor Mário Porto. A vendedora de beiju, que se chamava Conceição, já faleceu, mas foi graças a ela que a Comunidade Vida, igreja que havia sido fundada um ano antes, começou um trabalho de recuperação das pessoas daquela localidade.

O Instituto Vida Feliz foi fundado no dia 12 de outubro de 2004, Dia das Crianças. Em 12 de outubro de 2005, o instituto deu início às suas atividades. Hoje, é uma creche que atende as crianças do bairro com consultórios odontológico e pediátrico, farmácia, ambulatório, consultório ginecológico para as mães das crianças atendidas e salão de beleza. “Desde sua fundação, já atendemos mais de mil crianças. Atualmente, 900 estão sendo atendidas pelo instituto”, informou o pastor Mário Porto, presidente da Comunidade Vida. O instituto é mantido pela igreja e parceiros por meio de doações.

Para o pastor, a igreja não pode fugir desse desafio que é chegar até as pessoas que precisam de apoio para vencerem as dificuldades da vida. “Como agentes de transformação, temos a responsabilidade de fazer diferença na comunidade onde estamos inseridos, sendo um reflexo da vivência de Cristo. Nosso trabalho é motivado pelo amor de Cristo e graças ao Vida Feliz a nossa militância se aguçou e pudemos expandir muito os nossos trabalhos”, explicou.

A igreja chegou ao Parque Jair antes do poder público. Nós levamos o prefeito de São José de Ribamar para conhecer o local e ele escolheu o bairro como sede do Liceu Ribamarense II. Ficamos muito felizes por inspirar essa ação do poder público. – Bispo  Mário Porto

Em dezembro de 2012, uma sessão solene realizada na Assembleia Legislativa, proposta pelo deputado Neto Evangelista (PSDB), comemorou os 10 anos de fundação da Igreja Comunidade Vida e do Instituto Vida Feliz. O trabalho da entidade mudou não apenas a vida da comunidade, mas inspirou o poder público.

Educação – O Parque Jair foi escolhido pela Prefeitura de Paço do Lumiar para sediar o Liceu Ribamarense II, escola de tempo integral que conta com dez salas de aula, laboratório de informática com um computador (conectado à internet) para cada aluno, laboratório de ciências, sala de multimídia, biblioteca com amplo acervo, brinquedoteca, área de vivência, quadra poliesportiva com arquibancada, refeitório, playgroud, secretaria, sala de professores, cozinha industrial com capacidade para produzir diariamente mais de mil refeições, além de área para estacionamento.

CRER – E o trabalho do Instituto Vida Feliz serviu de base para que a igreja aperfeiçoasse o seu atendimento às comunidades, ou como prefere dizer o pastor, o lado de empreendedor social. Há quatro anos, a igreja decidiu que iria encarar outro desafio: recuperar dependentes químicos e reinseri-los no convívio familiar e social. Com esse espírito, nasceu o Centro de Recuperação e Reabilitação da Comunidade Vida (CRER), que funciona no bairro Maracanã e já recuperou quatro dependentes.

Os trabalhos desenvolvidos pelo CRER contam com alimentação diferenciada com nutrientes que contribuem para a desintoxicação do organismo, como o mesocarpo do babaçu, uma palmeira tipicamente maranhense. Além disso, também são praticados esportes, já que eles auxiliam nessa “limpeza” interna do corpo e ajudam na socialização e convivência dos internos, além de ser um exercício físico. Terapias ocupacionais também fazem parte da receita aplicada pelo centro.

Os trabalhos que estão sendo desenvolvidos na instituição já estão mudando a realidade dessas pessoas. “Este ano, tivemos a vitória de termos quatro ex-alunos contratados pela Vale. A margem de recuperação do CRER é de 30%, considerada alta devido à desistência de muitos deles. Por isso é preciso ter muita perseverança e, nessa caminhada, o amor nos faz ser ‘indesistíveis’ nesse trabalho”, comentou o pastor Mário Porto. Sem fins lucrativos, a instituição depende da doação de empresários e pessoas comuns que acreditam e querem investir em vidas.

Desde a sua fundação, a igreja tinha como vocação o trabalho social. Assim, junto com ela nasceram os Anjos da Solidariedade, grupo formado pelos membros da igreja. “Em 1º de janeiro de 2004, em minha primeira mensagem, falei que a igreja não poderia ser uma instituição meramente espiritual, que espiritualizava tudo. Existe algo que não podemos espiritualizar, que é a fome, por exemplo. Não posso levar a mensagem de Cristo e não abençoar também o corpo”, destacou o pastor Mário Porto.

Os Anjos da Solidariedade fazem um trabalho mensal junto a pessoas em situação de vulnerabilidade, como os moradores de palafitas da Ilhinha e os que moram sob a ponte do São Francisco. No lixão de São José de Ribamar, a igreja conseguiu organizar uma cooperativa de catadores. “Meu sonho é que dessa cooperativa possa nascer o primeiro empreendimento social apoiado pela igreja e essas pessoas possam viver com dignidade”, disse o pastor.

Doações para o Instituto Vida Feliz e CRER

Instuto Vida Feliz
Caixa Econômica Federal
Agência: 1577    Operação: 003  Conta Corrente: 2101-1

Igreja Comunidade Vida
Banco do Brasil
Agência: 4323-0
Conta Corrente: 5310-4

 

FONTE: O IMPARCIAL 05/07/2015